Abordagens científicas sobre Aconselhamento de Carreira

2020-11-01

Qualquer intervenção de Aconselhamento de Carreira, tem como ponto de partida a fase diagnóstica, para averiguar-se onde a pessoa está. Para o efeito, Walsh (1990) considera 7 abordagens possíveis:

(1) Abordagem Desenvolvimentista com foco: na pessoa, no problema e no prognóstico, promovendo-se a identificação de novos significados e formas de agir;

2) Aprendizagem Social. Avalia-se o repertório informativo do cliente, promovendo-se a construção e desenvolvimento de competências para controlo e alteração de comportamentos nas escolhas e tomadas de decisão;

(3) Psicológica-Social. Identifica os mitos/crenças que a pessoa tem de carreira, via questionamento e ressignificação, valorizando-se as atitudes a alterar, de acordo com as descobertas (posse de mais informação consciente);

(4) Computacional. Através de testes de computador, identifica-se o problema na decisão da carreira, promovendo-se a necessidade de planear ao relacionar as informações armezanadas no cliente com as profissões e as competências que são necessárias para exercer determinada profissão;

(5) Traço e Fator. Direcionam-se técnicas, para processar a informação, com recurso à racionalidade, planeamento e monitorização de passos para a resolução do problema de decisão na carreira;

(6) Centrada no indivíduo. Enfatizam-se os sentimentos e as emoções do cliente, promovendo-se o autoconhecimento e a disponibilização de competências de carreira, para implementar objetivos;

(7) Psicodinâmica. Baseia-se no consciente e inconsciente do cliente, sendo por isso um processo terapêutico. Exploram-se temas de vida aquando da definição de objetivos futuros, permitindo-se que seja o cliente a fazer uma avaliação intra e interpessoal, com estratégias/técnicas estruturadas e projetivas, encontrando por si, as respostas que considera mais adequadas para tomar decisões de carreira.

Isabela Oliveira


Partilhar: