Tipo de sintomas que conduzem pessoas de sucesso ao Processo de Individuação Sistémica

Os sintomas que as pessoas de sucesso mais relatam são:

- Sentirem-se sós, mesmo que rodeadas de pessoas 24 h por dia;

- Falta ou ausência de grupos de pertença/referência/identificação;

- Sensação de mal-estar em alguma área específica da vida ou em várias; 

- Condicionamentos ou impedimentos mentais de viverem coisas diferentes das que estão a experienciar;

- Anularem o que sentem para que outros se sintam bem, nomeadamente a família; 

- Sentirem-se infelizes interiormente e verificarem que as pessoas à sua volta também se sentem do mesmo modo;

- Tentarem esconder a angústia que os consome;

- Terem medos, que escondem e/ou reprimem, como: de avançar; de falhar; de perder o controlo; de ser necessário mudar algo e não conseguirem agir; de morrer; de perder alguém ou algo; de ficarem sós; do escuro; de dormirem sózinhos em casa; que aconteça algo trágico, especialmente a alguém especial;

- Desilusão, frustração consigo mesmas;

- Sentirem-se vazias ou mal por dentro;

- Estarem amargurados e escondidos no “seu casulo”, por se terem deixado enganar;

- Duvidarem das suas capacidades, apesar de já terem dado n provas de serem excelentes;

- Estarem sem vontade de fazer algo, fazendo de conta e o tempo corre;

- Sentirem falta de entusiasmo;

- Desconhecerem o seu lugar na família, no emprego e/ou no mundo;

- Sentirem-se esgotadas, com falta de energia, andam sempre a correr de um lado para o outro;

- Ficarem com falta de saúde devido ao que se passa fora deles;

- Sem vontade de saírem, esquecerem-se de si e dos outros;

- Dificuldade em respirarem e manterem a calma;

- Desleixo, a roçar a perda de autoestima.

- Andarem impacientes com os mais próximos, sendo demasiado exigentes;

- Acomodarem-se às situações em vez de agirem adequadamente, 'deixam correr';

- Reagirem de forma impulsiva e intempestiva para depois perceberem que, afinal, foi um exagero;

- Estarem stressados ou com nervoso miudinho sem existirem causas aparentes;

- Sentirem que não são respeitadas/reconhecidas como antigamente;

- Sentirem ansiedade em momentos específicos, que deviam ser já confortáveis devido à experiência;

- Desmotivação e maior dificuldade em cumprir com os objetivos a que se comprometem;

- Estarem em muitas coisas ao mesmo tempo, sem na verdade conseguirem prestar a devida atenção a todas, deixando projetos a meio;

- Inconsistência de comportamentos, decisões ou humor;

- Problemas sérios com os filhos ou conflitos em diferentes dinâmicas (família, trabalho, outros ambientes);

- Falta de identificação com o que fazem ou a vida que levam;

- Conflito entre o continuar a fazerem algo que desapreciam só para agradar a alguém e a vontade de deixarem de o fazer;

- Sem saberem o que fazer em determinadas situações;

- Falta de ajuda e/ou compreensão em casa, entre amigos, colegas ou pares sociais;

- As férias sabem a tudo menos a férias;

- O relacionamento com os demais já teve melhores dias;

- Estarem a deixar de ser dinâmicos e ativos, como eram;

- Sentirem-se robotizados, a viverem 'uma vida sem sal';

- Sentirem desarmonia em casa, com marido/mulher e filhos ou noutros contextos sociais;

- Estarem tristes e dececionados consigo mesmas;

- Deixaram de sentir o brilho de outrora e o entusiamo pela vida;

- Não usufruírem verdadeiramente das coisas, do dinheiro e da saúde que têm;

- Não estarem verdadeiramente apaixonados por nada e/ou por ninguém há demasiado tempo;

- Não se sentirem amados e/ou desejados;

- Atraírem relações amorosas complicadas ou pouco confiáveis;

- Condicionarem-se ao que é a opinião dos outros e a viverem cada vez mais subjugados;

- Sentirem-se inquietos, insatisfeitos ou sem paz;

- Sentirem-se a decair e a não terem tanto sucesso como antes;

- Ser tudo monótono e sem desafios interessantes;

- Sentirem-se como uma criança outra vez, que precisa de orientação;

- Bloquearem perante algo novo que exige atenção imediata ou após perceberem que algo está mal;

- Falta de tempo;

- Sentirem-se 'a remar' sozinhos;

- Ressurgimento/incapacidade de esquecerem um evento/acontecimento menos bom que já achavam já estar ultrapassado;

- Estarem incapazes de se desafiarem;

- Hesitarem no rumo a levar no que toca a questões pessoais, familiares e profissionais;

- Recearem pela sua segurança e bem-estar financeiro futuro ao terem de tomar certas decisões;

 


Partilhar: