O que é o Consciente e o Inconsciente?

consciente é a camada mais superficial da psique individual, é a ponta do iceberg, utilizando uma imagem/metáfora. Segundo a Neurociência, representa apenas 1 a 5% da perceção subjetiva, que cada sujeito abarca de si mesmo, dos outros e do mundo. O resto reside no repertório inconsciente, na grande camada invisível, que mais influencia e molda o comportamento humano (Jung).   

Jung ilucida-nos que o inconsciente pessoal tem que ver com a nossa história individual, com o que vivenciamos, desde a nascença. É povoado, pelos nossos "complexos" que foram esquecidos ou reprimidos, por terem sido irrelevantes, causado dor ou mesmo trauma, sendo que foram reprimidos, conduzidos para a psique mais profunda e sombria, que projetamos em pessoas e situações, que nos incomoda, até que integremos a parta numinosa e deixe de afetar-nos. 

Hellinger identificou o inconsciente familiar, reconhecendo que ao sermos metade das células da nossa Mãe e metade das do nosso Pai, herdámos toda a sua genética e a dos precedentes ancestrais, sendo que tudo que ficou por resolver no passado familiar, vai querer ser visto, por alguém com vida, na família, que irá inconscientemente co-criar no presente situações, para que sejam identificadas, reconhecidas e acolhidas, as dores e/ou perdas passadas. Com recurso aos saberes sistémicos e muito por amor ao sistema familiar, devolvemos a  dignidade aos nossos antepassados que sofreram ou foram vítimas do que quer que seja, reconhecendo o que é nosso e o que é deles, respeitando assim, as três leis fenomenológicas- Ordem, Equilíbrio entre dar e receber e Hierarquia, trazendo "cura"/paz ao sistema familiar, impedindo que fiquem assuntos por resolver, para os nossos descendentes.

Jung identificou  uma camada mais profunda do inconsciente, que é impessoal e universal, logo habita em todos os Seres Humanos. Mantém-se no tempo e no espaço, com conteúdos e formas de comportamento semelhantes, que se reconhece. Herda-se arquetipicamente e modela alguns conteúdos psíquicos. Trata-se do inconsciente coletivo, que é povoado pelos arquétipos-imagens universais, ensinamentos tribais, que se encontram nos mitos e contos de fadas, sonhos e na religião. O inconsciente coletivo representa o modelo básico do comportamento instintivo e cultural. Como refere Berne, nascemos princípes a saber como funcionamos e tornamo-nos sapos perante uma educação limitante.  

A mente consciente e racional, julga e avalia, com o conhecimento finito que capta. Já a mente inconsciente é criativa, intuitiva e fértil em infinitas possibilidades, assim que aprendemos a ela aceder e colocamos os saberes sobre ser-se humano em movimento.

Isabela Eunice


Partilhar: